Dicionário Financeiro para Investimentos

Resumo: Glossário de principais termos de finanças usados na área de investimento através de banco e corretoras de investimentos.

Isso é um glossário de principais termos de finanças usados na área de investimento através de banco e corretoras de investimentos.

Estudando sobre finanças, para uso próprio, anotei os principais significados dos termos usados, siglas, tipos de investimento, indexadores etc através de corretoras de investimento e bancos.

É para saber e relembrar o que significa e/ou principais características, por isso é bem resumido.

Como pode ser útil para mais alguém, exponho aqui, em ordem alfabética:

  • B3: é a bolsa de valores oficial do Brasil
  • BC: Banco Central
  • CDB: Crédito de depósito imobiliário. Investimento de Renda Fixa.
  • CDI: É a taxa de juros usada pelos bancos para emprestar dinheiro entre si. Certificado de Depósito Interbancário, é um dos indexadores mais usados em renda fixa e costuma ficar bem próximo da Taxa Selic
  • Corretora de investimentos: intermediária que vai conectar o investimento ao comprador, e repassar juros e taxas.
  • FGC: fundo garantidor de crédito. Até 250 mil reais por pessoa física por banco, está com seu investimento garantido caso o banco quebre
  • IGPM: índice geral de preços do mercado, é medido pela Fundação Getúlio Vargas, como opção à medição pelo IPCA.
  • Indexador: todo e qualquer índice da economia usado como referência para estabelecer a rentabilidade de um investimento.
  • IPCA: índice de preços ao consumidor, é medido pelo IBGE. Equivalente a inflação. Se tem rendimento acima da inflação, seu dinheiro não desvaloriza perante a ela.
  • LCA: Linha de crédito agropecuária. Ver “LCI+LCA”
  • LCI: Linha de crédito imobiliário. Ver “LCI+LCA”
  • LCI+LCA: Investimento de Renda Fixa. Livres de taxas e tributos. Exigem investimentos iniciais a partir de 5 mil e tempo mínimo de 3 meses. Fonte: Blog Rico
  • Liquidez: Grau de agilidade de conversão de um investimento sem perda significativa de seu valor. Alta liquidez = maior facilidade em retirar em menos tempo. Baixa liquidez: É necessário mais tempo/prazo para podermos reaver o dinheiro investido.
  • Pós fixada: o investimento rende dependendo do indexador
  • Pré-fixada: A rentabilidade do investimento é estabelecida no momento em que você investe,
  • Renda Fixa: Toda forma de investimento em que o investidor empresta dinheiro para uma instituição, seja ela pública ou privada, com a garantia de que irá receber o dinheiro ao final de um prazo com juros. Tipos: Tesouro SELIC, Tesouro IPCA, LCA, LCI, CDB
  • Rentabilidade: TAXA/INDEXADOR. Exemplo: o CDB do Banco Y oferece ao investidor a rentabilidade de 120% do CDI. O que significa que se no período de 1 ano o CDI ficou estável em 7% ao ano a rentabilidade será de aproximadamente 8,4% (120% de 7%) desconsiderando taxas e impostos.
  • SELIC: sigla de “Sistema Especial de Liquidação e de Custódia”. Tal sistema é uma infraestrutura do mercado financeiro administrada pelo BC. Nele são transacionados títulos públicos federais.  A taxa média ajustada dos financiamentos diários apurados nesse sistema corresponde à taxa Selic. Fonte: Banco Central do Brasil
  • Taxa SELIC: taxa de juros básica da economia, mãe de todas as taxas. Geralmente acompanha a inflação, como forma de regulá-la
  • Tesouro IPCA+: Renda fixa. A partir de 30 reais o investimento mínimo. Recomendado para investimentos de prazos maiores, pois normalmente só pode mexer após 6 meses.
  • Tesouro SELIC: Renda fixa. A partir de pouco mais de 100 reais. Rentabilidade diária, imposto de renda descontado no rendimento, IR menor quando não mexe por mais tempo.